03 Jun

TEDxLisboaSalon – Voluntariado

Voluntariado: Sim ou Não? – Foi este o mote lançado no segundo TEDxLisboaSalon. De casa cheia, muito curiosa e bastante atenta iniciou-se a conversa com o moderador Duarte Paiva, Coordenador, Formador e Presidente de Direcção ACA – Associação Conversa Amiga.

Cada participante tinha consigo cartões de três cores diferentes: vermelho, amarelo e verde. O exercício era simples: responder a cada questão com cada um dos cartões.

O debate foi lançado com perguntas, respostas e opiniões. Será que devemos fazer voluntariado? Porque fazemos voluntariado? Porque não fazemos voluntariado? Quais as nossas motivações e interesses?

Duarte Paiva apresentou algumas conclusões de estudos sobre o voluntariado na União Europeia e no resto do mundo. Foi colocando à prova os participantes, que reagiam às interpelações. Assistimos a uma verdadeira troca de experiências.

Partindo da ideia “dou porque quero dar” e “invento tempo” para o voluntariado que faço “de forma desinteressada”, encontraram-se várias perspectivas: “estendo a mão, mas também recebo”, “quero ser útil e contribuir para a sociedade”, “voluntariado é um compromisso assumido voluntariamente”, “conhecer novas pessoas e novas realidades não pode ser a maior motivação para fazer voluntariado”, “o voluntariado é moda”, “o voluntariado é uma aprendizagem“, “o voluntariado pode promover a inclusão social e minimizar conflitos” e tantas outras para ficar a conhecer aqui. Partilhe também connosco a sua opinião.

Na origem da palavra ‘voluntário’ está a capacidade de escolha ou de decisão, explicou Duarte Paiva, e, no final, questionámos os participantes – “Ajuda-nos a arrumar as cadeiras? Sim ou Não?” – que aceitaram o desafio com um enorme sorriso.

1# Faço voluntariado porque… quero ajudar

“Dou porque quero dar. Estendo a mão, mas também recebo.”

“Faço voluntariado para ajudar o outro.”

“É preciso ter noção do que estamos dispostos a dar, a ajudar.”

“O voluntariado é uma forma de descobrirmos quem somos.”

“Aprendi muito em Inglaterra. Tenho a obrigação de ajudar. Lá eles têm a noção que não cabe ao Estado fazer tudo. Cabe-nos a nós.”

 

2# Faço voluntariado porque… tenho tempo livre e quero fazer alguma coisa de útil

“Quero ser útil e contribuir para a sociedade.”

“O tempo livre é construído por nós.”

“Se for preciso, invento tempo.”

“Quem não quer arranja desculpas, quem quer arranja tempo.”

“Posso dizer que não tenho tempo livre porque passo várias horas por dia em frente à televisão.”

 

3# Faço voluntariado porque… quero conhecer novas pessoas e realidades

“Tenho obrigação de ajudar o próximo e necessidade de participar.”

“Fazer voluntariado pode ser visto como uma saída à noite?”

“O voluntariado não pode ser encarado como um hobby, o voluntariado é um compromisso.”

“Conhecer novas pessoas e realidades não pode ser a maior motivação.”

“Disseram-me: não acha que devia estar em casa com os seus filhos?”

“Quando os meus amigos se divorciam a maior parte deles vai fazer voluntariado.”

“Conhecer novas pessoas e realidades pode ser um bom ponto de partida. Eu comecei a fazer voluntariado por empurrão.”

“O voluntariado é moda.”

“O voluntariado aproxima-nos de uma realidade.”

“As pessoas aparecem lá e uma semana ou duas depois deixam de aparecer.”

“Se eu conseguir ao fim de um ano ficar com um ou dois voluntários, já fico muito satisfeita.”

 

4# Significado da palavra voluntário: “capacidade de escolha ou de decisão”

“Ser voluntário é estabelecer um compromisso com a sociedade.”

“O voluntariado serve para formar pessoas responsáveis, para aprender, para enriquecer como cidadão.”

“Decidimos que queremos fazer voluntariado quando nos voluntariamos, quando temos a sensação de utilidade e liberdade para dizer ‘sim’.”

“O voluntariado é diferente de um trabalho remunerado porque não há dependência.”

 

5# Faço voluntariado porque… é importante para a minha empregabilidade

“Fica sempre bem no Curriculum Vitae. É sempre uma mais-valia”

“Hoje ao recrutar qualquer pessoa olha-se para o CV, se foi voluntário ou se faz voluntariado. É através do voluntariado que se ganham competências sociais, soft skills, muito importantes.”

“O motivo não interessa. Cada um terá o seu. Não acredito que um motivo seja mais válido que outro, desde que a pessoa acrescente valor.”

“Há 25 anos era muito difícil dizer que se fazia voluntariado.”

“No voluntariado aprendem-se coisas que não se aprendem na sala de aula.”

“Se as Universidades começam a impôr que se tenha voluntariado no Curriculum, deixa de ser feito de forma livre.”

 

6# Faço voluntariado porque… é uma forma cívica de participar

“Há empresas que usam a mão de obra dos empregados para mostrar que fazem serviço cívico.”

“Enquanto a empresa quiser que eu faça voluntariado porque parece bem, eu digo não.”

“O voluntariado faz parte da minha própria vontade.”

 

7# “O voluntariado é considerado como estando fortemente ligado tanto à aprendizagem não-formal e informal e contribui para o desenvolvimento pessoal, permitindo adquirir novas competências, reforçando também a empregabilidade”

 

8# “O voluntariado (…) representa hoje um dos instrumentos básicos de participação da sociedade civil…”

“O voluntariado não é só solidariedade social.”

 

9# Não faço voluntariado porque… é uma forma de exploração

“O voluntariado acaba onde começa o trabalho comunitário de cumprir uma pena.”

“Será que fazemos voluntariado de forma coagida?”

 

10# Não faço voluntariado… porque a maior parte do voluntariado é só caridade sem resolver os problemas

 

“As pessoas que dizem que o voluntariado é só caridade e não resolve os problemas não sabem do que estão a falar.”

 

11# Motivos para fazer voluntariado: eliminar a pobreza, melhorar a saúde e educação básicas, fornecer suprimento, água e saneamento, combater os problemas ambientais, e combater a exclusão social e os conflitos violentos

 

12# Não faço voluntariado porque… não gosto

“Há pessoas que têm vergonha de dizer que fazem voluntariado porque gostam.”

 

13# Não faço voluntariado porque… é para quem quer ir para o céu

“Existe um grande número de pessoas que quer fazer voluntariado no mês de Dezembro.”

“Fazer voluntariado não pressupõe uma recompensa, deve ser feito de forma desinteressada.”

“É preciso coragem para fazer voluntariado. Requer uma alteração de mentalidades.”

 

 

Concorda ou discorda? Participe deixando aqui a sua opinião!