14 Jul

TEDxLisboaSalon – Estamos confortáveis em abdicar de decidir?

Em mais um TEDxLisboaSalon discutimos o abdicar de decidir. Já ouvimos e provavelmente já dissemos frases como “as minhas decisões sou  eu que as tomo” ou “sou eu que decido a minha vida”. Porém, caminhamos rapidamente para uma sociedade onde algumas decisões deixam de ser tomadas por nós.

Os sistemas de decisão e recomendação facilitam o nosso quotidiano e decidem, por exemplo, que mails são SPAM, que músicas, filmes e livros estão de acordo com as nossas preferências. Indicam-nos até, em tempo real, qual a rota mais rápida para o nosso local de trabalho.

Mas, e quando essas recomendações e decisões deixam de estar sob o nosso controlo?  O quão confortáveis estamos em abdicar desta decisão? Para nos ajudar nesta discussão recorremos a uma adaptação de um exercício filosófico conceptual: o dilema do elétrico. 

O dilema do elétrico consiste no seguinte:  um elétrico encontra-se em movimento desgovernado e, na sua rota encontram-se cinco pessoas presas nos carris. Existe, contudo, uma alavanca que dirige o elétrico para outros carris onde se encontra uma outra pessoa presa nos carris. Assume-se que o veículo não pode ser travado e o destino será fatal para quem for atingido.  Nesta variante somos sempre obrigados a tomar uma decisão: . ou salvamos uma pessoa ou salvamos cinco pessoas.

Nesta discussão foram apresentados  cinco cenários diferentes, que exploram a influência da idade, da insuficiência física ou mental, do comportamento moral, e do envolvimento emocional.

Cenários discutidos no TEDxLisboaSalon. A) Não temos informação sobre os envolvidos; B) cinco idosos e uma criança ; C) cinco adultos e uma criança; D) cinco criminosos e uma criança E) cinco pessoas e um ente querido

 

Na discussão, a informação disponibilizada influiu no processo de decisão da maioria dos participantes. Apenas 20% optaram sistematicamente por salvar o maior número de pessoas quando confrontados com os diferentes cenários.

O abdicar de decidir não é consensual, nem todos estamos de acordo sobre como agir numa sociedade onde as decisões são homogéneas. Cada vez mais estamos a utilizar sistemas informáticos para todos os tipos de decisão onde muitas delas resultam de problemas que apresentam uma multiplicidade de possíveis respostas assentes em ética e valores.  Que decisão deve um veículo autónomo tomar quando colocado perante o dilema apresentado? Quem deve uma empresa contratar? Qual a probabilidade de um condenado reincidir? Que notícias queremos saber dos nossos amigos. E de quais?

O objetivo deste TEDsLisboaSalon foi consciencializar os participantes para uma sociedade que se aproxima. Não pensamos nem decidimos todos da mesma forma, e este é o momento para nos informarmos e discutirmos sobre a forma como desejamos que a nossa sociedade evolua!